top of page
Buscar
  • Foto do escritorCoolTure Trip

Fotógrafos de Hip Hop #5; Martha Cooper

A nossa maior inspiração é Martha Cooper, e hoje trazemos uma entrevista feita pela The Hundreads.


SPRAYTRAINS: Qual foi o momento em que você percebeu que estava indo no meio de um movimento maior do que você jamais imaginou ? Quais foram os seus sentimentos e o que aconteceu depois?


MARTHA COOPER: Eu não entendi o quão grande ele foi até por volta de 2004, quando publiquei um livro chamado Hip Hop Files e o autor, Akim Walta - que é alemão e publicou o livro - me levou para a Europa. Naquela época, houve uma pausa de interesse em grafitti nos Estados Unidos. Subway Art era um livro antigo e as pessoas não estavam realmente comprando-o mais. Mas quando eu fui para a Europa , fiquei muito surpreendida ao ver que era ainda uma vibrante cultura. Todos eles : hip- hop, grafitti, b- boying ; a coisa toda.

Quando nós fomos, passei o livro para 18 cidades diferentes , as pessoas sabiam quem eu era e que, quando eu estava tipo, "Uau! Essa coisa realmente aconteceu. " Eu não entendia até então. Isso foi há muito tempo, o primeiro livro foi publicado em 1984 e eu não tinha ido para a Europa até 2004. Isso é 20 anos mais tarde....


Sobre o que aconteceu depois: Eu pulei para fora porque eu precisava fazer algum dinheiro , eu era uma fotógrafa freelance e eu estava trabalhando muito duro na minha carreira de fotógrafa e que realmente não incluem hip- hop e graffiti na época. Mesmo agora, você não pode realmente ganhar dinheiro tirando fotos de arte de rua e graffiti. Mas, quando vi quantas pessoas estavam interessadas eu pensei bem , eu vou voltar.

Eu realmente tomei a decisão de: vamos fazer isso novamente. E quando você pensou que não poderia ficar maior , se manteve em expansão e por isso estou aqui na Itália , viajando ao redor do mundo, vivendo uma vida muito interessante por causa do que aconteceu.


Graffiti tem uma força tão irresistível. O que você ama, não pra sair... Para mim, a parte ilegal sempre foi a parte mais emocionante , e o que realmente me interessou foi a ideia de que as crianças que iam para fazer arte e que eles estavam fazendo arte para o outro - principalmente os adultos não entendem isso. Então eu pensei que eu foi levado para um mundo secreto e foi um mundo subterrâneo . Agora é um mundo acima do solo. Embora, é claro , ainda há um monte de graffiti ilegal acontecendo ...


Recentemente, o país que eu estava, acho que o Brasil - fomos para um quintal lá e nós fomos expulsos. Isso foi meio engraçado . Fomos, as crianças estavam pintando os trens , e o que aconteceu depois, você sabe, esses policiais apareceram em uma motocicleta e nós tivemos que passar por cima de uma cerca. E o muro era muito alto. Subimos , então eu olhei para baixo e pensei, " Oh meu deus, eu realmente não posso saltar. " Então, dois caras me ajudou a descer . Isso foi um pouco assustador....


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Σχόλια


bottom of page